Expressão Artística


Paty Fonte

ArteO trabalho artístico possibilita ampliar as formas de expressão e o universo criativo e imaginário das crianças.

"A arte capacita um homem ou a mulher a não ser um estranho em seu meio ambiente nem estrangeiro no seu próprio país. Ela supera o estado de despersonalização, inserindo o indivíduo no lugar ao qual pertence, reforçando e ampliando seus lugares no mundo". (Ana Mãe Barbosa)

A arte é uma linguagem especial. É utilizada para que o ser humano possa mergulhar dentro de si mesmo, trazendo à tona emoções do próprio ser. Por isso, quando um homem quer falar ao coração dos outros homens ele o faz pela linguagem da arte. Quando isso acontece, naquele homem sente e age o ARTISTA.

O ensino atual conteudista, fragmentado e massificante não explora todas as possibilidades que existem dentro e fora da instituição escolar e de si mesmos.

O grande desafio é caminharmos para uma educação eficaz e de qualidade, que integre todas as dimensões do ser humano. Para tal, precisamos de pessoas que façam integrações de si mesmas no que concerne aos aspectos sensorial, intelectual, emocional, ético e tecnológico. Além disso, que transitem de forma fácil entre o pessoal e o social, que expressem através de palavras e ações que estão sempre evoluindo, mudando e avançando.

Nas produções artísticas das crianças são comuns alguns desenhos estereotipados como a casinha, a árvore de maçãs, o “homem palito”, pássaros em forma de um “v”, sol com carinha, entre outros, pois são essas figuras que as crianças vêem espalhadas pelos murais da própria escola, em revistas ou até mesmo na TV.

A ideia de variar os instrumentos para criação artística auxilia o pensar em novas possibilidades. Como desenhar usando spray, roll on ou conta gotas? Além de desenvolver a coordenação motora fina e ampla de forma divertida são propostos desafios para os alunos pintarem e desenharem, descobrindo, com o professor, novas maneiras de realizar esses desenhos ampliando o conhecimento e desenvolvendo a expressão. O ensino de Arte aborda uma série de significações, tais como: o senso estético, a sensibilidade e a criatividade.

“O desenho é um pedacinho da alma criança deitado num papel". (Claparéde)

Cabe ao professor pensar na criança em um universo amplo, onde não seja estereotipada; mas, sim, estimulada a criar e respeitar as suas produções e as dos colegas, enxergar o mundo com seus olhos, mostrar-lhes vários caminhos que os levarão a um aprendizado mais amplo.

Pensar na criança como um ser inocente e sem critérios estéticos é seguramente ignorar e menosprezar sua capacidade. Devemos percebê-las, sim, como construtoras de seu próprio universo, onde suas atitudes e observações são parte deste mundo próprio, onde há a concessão de participarmos dele. É nessa independência e atemporalidade que o universo infantil se baseia, nos interesses rápidos e vorazes, nas criações e faz de conta destas criaturas ávidas de prazer e vida.

A educadora deve estimular, encorajar e apreciar o resultado do esforço infantil. Jamais procure coisas "erradas" para apontá-las ou modificá-las. A criança que é sensibilizada em suas relações com o meio enriquece suas observações e experiências.

Jamais interferir, ajudar ou modificar o trabalho de uma criança. A expressão gráfica livre é o registro da personalidade infantil. Cabe aqui uma frase de D. Helder Câmara: "Ótimo que sua mão ajude o vôo, mas que ela jamais se atreva a tomar o lugar das asas".

Sugestões de Atividades

Pintura com embalagem de desodorante roll on:

Esvazie completamente os frascos e coloque tinta guache dentro. Proponha que as crianças desenhem livremente. Tal técnica trabalha a coordenação motora ampla e a tonificação das mãos, pois é necessário um pouco de esforço para desenhar. O resultado é muito bonito.

Arte

Pintura com conta gotas:

Espalhe uma base de cola no papel 40 kg. Para pintar misture álcool com tinta nanquim. Em seguida proponha que as crianças criem usando o conta-gotas. A técnica trabalha coordenação motora fina e concentração. O efeito é maravilhoso.

 

 

 

Pintura com esponja:

Utilize esponja e tinta guache e permita que as crianças pintem batendo, esfregando, espalhando... É uma técnica que costuma agradar os pequenos, pois permite que explorem suas potencialidades.

 

 

arte

Pintura a dedo:

Se sujar pintando, sentir a textura da tinta, misturar as cores, criar livremente. É imprescindível oportunizar essa atividade para as crianças.

 

Arte

 

Pintura com spray:

Embalagens de perfume e desodorante spray também podem ser utilizadas para criação artística. O importante é variar bastante as técnicas e os materiais, para tanto crie uma caixa de sucata – o lixo virará arte.

Arte

Outros materiais originais para pintura:

  • Mata moscas
  • Vassourinhas de crianças
  • Batedor de claras
  • Tampinhas de garrafa pet

Observações:

  • O professor deve testar antes todas as técnicas e separar os materiais disponíveis para que não ocorra imprevistos e incidentes.
  • Troque o avental por camisas velhas dos pais, pois os alunos ficam mais protegidos e sentem-se a vontade para criar.
  • Faça um vernissage expondo todas as artes das crianças e convide os responsáveis para visitar.

Os objetivos das atividades propostas para o desenvolvimento da capacidade criadora são:

  • Favorecimento do crescimento e da sensibilidade e interesse estético na criança;
  • Estímulo ao pensamento e à imaginação criativa através da atividade artística;
  • Reforço da segurança e confiança próprias. Permitindo melhorar a expressão de suas idéias através das técnicas gráfico-plásticas;
  • Permitir o manuseio de materiais que permitam a aquisição de habilidades artísticas específicas;
  • Estimular a curiosidade e a vontade de experimentos com materiais variados;
  • Estimular a criação de técnica e estilo próprios.

“A educadora deve conhecer bem as técnicas de arte e saber empregá-las de acordo com o desenvolvimento individual da criança, lembrando que a Experiência Criadora é mais importante para o desenvolvimento da criança do que a excelência do produto final do trabalho. Os trabalhos das crianças não são trabalhos de adulto e não devem ser julgados assim”. ( Transcrito do livro "Treinamento para educadoras de Centros infantis-Planejamento Pré-escolar", de Astrogildes Delgado de Carvalho, Edições Paulinas”)

Referências e Dicas de Leitura:

  • BARBOSA, Ana Mae. Inquietações e mudanças no ensino da arte. São Paulo: Cortez,2002.
  • CARVALHO, Astrogildes Delgado. Treinamento para educadoras de Centros infantis-Planejamento Pré-escolar. Edições Paulinas.
  • PAREYSON, Luigi. Os problemas da Estética. São Paulo: Martins Fontes, 1997

Paty FontePaty Fonte (Patricia Lopes da Fonte)

Educadora especialista em pedagogia de projetos, escritora, autora do livro “Projetos Pedagógicos Dinâmicos: a paixão de educar e o desafio de inovar”, publicado pela editora wak; autora e tutora de cursos presenciais e on-line de educação continuada a docentes, coach, palestrante.

Idealizadora e diretora dos sites:
www.projetospedagogicosdinamicos.com e www.cursosppd.com.br

Twitter: @PatyFonte Blog: www.paixaodeeducar2.blogspot.com

 

Fotografias: Priscila Hemery - Crianças do Jardim Escola Nossa Senhora da Ajuda - Rio de Janeiro - RJ - www.jensa.110mb.com

 

 

blog comments powered by Disqus