Projeto "No Mundo das Sensações"


Professoras Luciana e Francisca

SentidosObjetivo Geral

  • Orientar os alunos na percepção da importância dos órgãos dos sentidos, dos problemas que a falta de um deles pode ocasionar e no aspecto de prevenção a alguns perigos e na manutenção do bem estar na qualidade de vida.

Objetivos Específicos

  • Estimular o autoconhecimento;
  • Incentivá-los a perceber a funcionalidade de cada órgão dos sentidos;
  • Identificar os órgãos sensoriais;
  • Conscientizar e promover a boa higiene;
  • Estimular a exploração do meio a sua volta analisando todos os aspectos positivos e negativos através dos órgãos dos sentidos.

Surgimento do Projeto
Objetivando o trabalho integral e transversal dos cinco sentidos, e o direcionamento no envolvimento com o mundo que a cerca construindo olhares que façam sentido.

Justificativa

As crianças possuem uma natureza singular, que as caracteriza como seres que sentem e pensam o mundo de um jeito próprio. Os conhecimentos são construídos a partir das interações que estabelece com outras pessoas e com o meio em que vivem. As memórias são criadas a partir de atividades rotineiras. Mas, o aprender não é somente memorizar informações, para tal é preciso saber relacioná-las, ressignificá-las e refletir sobre elas.

Tema

  • Olfato
  • Visão
  • Tato
  • Paladar
  • Audição

Desenvolvimento

O corpo oferece elementos para a construção do indivíduo enquanto ser pensante, afetivo e social capaz de reconhecer-se na coletividade.

Reforçar a consciência do corpo por meio da exploração do mundo, através de estímulo das percepções do olfato, visão, tato, paladar e audição.

O projeto foi utilizado a História "O Mundo das sensações da Lelê" , onde foi possível explorar esse conteúdo(os cinco sentidos) através do diálogo Com a Lelé ( uma boneca de fantoche)

As atividades do projeto foram trabalhadas de modo significativo para que os alunos possam manusear diversos suportes gráficos e plásticos, sobre diferentes superficies para desenvolver suas potencialidades de expressão e comunicação estimulando sempre a curiosidade e atenção da criança .

Além de aguçar os sentidos dos alunos é atribuir significado às sensações, sentimentos e imaginação; sendo trabalhadas  de forma integrada, a percepção, a intuição e  a cognição, proporcionando o desenvolvimento continuo da capacidade criativa dos alunos.

O processo foi desenvolvido através de diferentes atividades de interpretação e investigação, pesquisas, experiências e observações, onde os alunos demonstraram curiosidade.

Temas para estudos dentro do projeto

Conceitos do dia a dia (vivencia,  experiência e algumas problemáticas do dia a dia da criança)

Finalização do projeto

  • As crianças são seres ativos em suas aprendizagens, observando, participando, interagindo com os materiais, lógica dos fatos e a matemática, contextualização.
  • Exposição do Projeto à família.

Produto Final

Cada sensação obteve um produto final destinado a todos da creche, familiares e comunidade.

Resumo 

O presente projeto aborda a importância do estímulo dos sentidos sensoriais na aprendizagem como parte fundamental do desenvolvimento da criança de creche com base em atividades realizadas no terceiro semestre de 2012. Tem-se como objetivo evidenciar a importância da utilização do tato, da visão, da audição, do paladar e do olfato no envolvimento com o mundo e na descoberta de individuo como ser único e subjetivo na  construção de experiências através da percepção com os sentidos . Para tanto, se abordará a importância dos sentidos sensoriais do corpo no processo de ensino-aprendizagem, através da  influencia do lúdico e da pratica cientifica na construção cognitiva  na consciência de mundo e individual pelo uso dos sentidos.

Introdução

 A percepção de mundo, para os seres humanos, se dá por meio dos sentidos sensoriais: audição, tato, paladar, olfato e visão. A união e o estímulo desses sentidos facilitam o processo de aprendizagem do educando, pois o conhecimento do mundo chega por meio desses sentidos, sendo captado por células sensoriais e, posteriormente, interpretado pelo cérebro. Dessa forma, o corpo se estabelece como o principal instrumento de aprendizagem.

O uso de atividades práticas de caráter lúdico estimula o interesse e o envolvimento pela aprendizagem, os jogos e as atividades práticas podem ser encarados como simples brincadeiras pelas crianças; mas, no ensino, possuem uma proporção muito maior: levam a uma percepção cognitiva e assim a aprendizagem.

Desenvolvimento

 A criança desde do seu nascimento, observa a reação das pessoas que estão envolvidas em seu cotidiano e, quanto mais ela participa de experiências afetivas, físicas, perceptivas e sociais  maior será o enriquecimento e também o desenvolvimento da sua inteligência. “É  por meio dos primeiros cuidados que a criança percebe seu próprio corpo como separado do outro, organiza suas emoções e amplia seus conhecimentos sobre o mundo”. (REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA EDUCAÇÃO INFANTIL, 1998, p.15).

E com isso grandes quantidades de informações  através dos sentidos é recebido pelo cérebro constantemente  . E é através dessa gama de informações que a criança, aprende a se mover, equilibrar-se e relacionar-se com os objetos e pessoas ao seu redor, aprende sobre o mundo em que vive. O cérebro organiza toda a informação recebida para possibilitar uma resposta e com isso desenvolve a organização que será a estrutura para comportamento e aprendizagem posteriores. Nesses primeiros anos, os movimentos espontâneos, as brincadeiras que envolvem o corpo todo, são muito eficazes em desenvolver o sistema nervoso.

O brincar é a melhor forma de desenvolver a consciência de si e do meio no qual está inserido. Ao se movimentar  criança, aprende sobre os limites do seu corpo dentro do espaço que a rodeia. Ao manipular objetos, aprende sobre seu peso, textura, força que precisa para segurá-los. Toda essa informação é recebida para o cérebro, organizada e armazenada, possibilitando que a criança aprenda cada vez mais sobre o mundo em que vive. O mundo moderno, a vida nas grandes cidades, eliminou uma grande parte do brincar que propicia esse aprendizado natural através das brincadeiras motoras e sensoriais. Cada vez mais a criança está confinada em um espaço, sem oportunidade para as explorações que seu cérebro precisa para se desenvolver.

Surge com isso  a  proposta de projeto para ser trabalhado no mês de setembro. A faixa etária na qual sou responsável junto a professora Luciana é a de 2 anos  e a nossa proposta se baseou  na possibilidade a descoberta de perceber  e de se ajustar ao  meio e a si através  dos órgãos dos sentidos.

Buscando na faixa etária uma contextualização partimos dos seguintes pressupostos idealizados por Froebel:

  • Respeitar a evolução natural da criança;
  • Estimular a espontaneidade da criança para realizar ao verdadeiro desenvolvimento;
  • Utilizar jogo, brincadeiras e oralidade para auxiliar no processo de ensino- aprendizagem.

Este ultimo item é parte essencial do projeto, já que consideramos a brincadeira o caminho do desenvolvimento cognitivo na infância.

Segundo Piaget o brincar apresenta características diferentes de acordo com o desenvolvimento das estruturas mentais, e uma das 3 etapas que ele trata  em particular esta  a de 2 e os seis /sete anos de idade, onde a simbologia surge com um papel fundamental nas brincadeiras como são exemplo o “o faz de conta”, as história, os fantoches, o brincar com os objetos atribuindo-lhes outros significados.

A partir desse desenvolvimento da estrutura mental da criança de 2 anos que  foi organizado todo o trabalho, nos utilizamos da contação de histórias onde teve como personagem a Lelé uma boneca de fantoche.Todas as histórias foram formuladas uma a uma com situações reais da turma, o objetivo  da prática foi de estimular a atenção e a motivação para o envolvimento ao trabalho,  as histórias foram conversas iniciadas pela Lelé, sempre a luz de uma  problemática onde pela discussão era organizado todo o trabalho com atividades que vinham de encontro a proposta da semana.

Este projeto teve inicio no dia 3 de setembro com termino no dia 5 de outubro com os alunos do maternal II, sendo uma atividade relacionada ao projeto a cada semana.

Foram realizadas brincadeiras que demonstravam e reforçavam as funções dos órgãos dos sentidos, com discussões em que os alunos eram  os protagonistas e assim valorizados dentro do seu contexto de vivencia, oralidade e conhecimentos.

Essas atividades se originaram das seguintes histórias 1ª semana ( Olfato- Lelé e o seu nariz machucado) conhecendo e identificando os odores da nossa casa, como atividade foi  trabalhado a importância da higiene pessoal e do meio assim como no aspecto de prevenção dos perigos que a nossa casa pode oferecer quando a criança não esta auxiliada pelo adulto, 2ª semana ( Visão- Lelé e sua conjuntivite) os lugares que Lelé frequenta: supermercado, zoológico e cinema, a atividade realizada foi com os rótulos principalmente de todos os odores trabalhados na semana do olfato  com essa atividade foi montado na sala de estimulação um mini supermercado que hoje é um dos cantinhos da rotina da sala  onde não só o maternal II frequenta mas como as demais turmas , 3ª semana ( Tato- Lelé e o machucado na sua mão)  experiência do quente e do gelado, do grande e pequeno, do pesado e leve, do liso e áspero onde a mascote da turma  a Conchita um cagado que foi o nosso mais interessante objeto de estudo quanto a seu casco, pele, peso, modo de andar, ... 4º semana ( Paladar- Lelé e a descoberta de novos sabores no passeio a quitanda do Seu Joaquim) Lelé experimentando novos sabores separados e juntos no suco, salada de fruta ,nessa semana trabalhamos a escovação até nesse momento não era pratica  até pela adaptação e o trabalho de forma prática e significativa, nesse dia trabalhamos em sala um subprojeto baseado em experiência e pratica e 5ª semana ( Audição- Lelé e os sons do cotidiano) Lelé e os sons do seu dia a dia.

Avaliação

Durante o projeto  foi possível discutir e trabalhar na sua forma lúdica e concreta questões do dia a dia e que são importantes para a criança para o seu bem estar , para a sua segurança tanto dentro de casa, como fora e  para o seu auto conhecimento como individuo único.

 O trabalho partiu do que as crianças conheciam e que era parte delas como contexto  a casa , assim como na ampliação desse meio aos lugares comuns a elas como o supermercado, o zoológico e o cinema, antes de propor esse trabalho foi levantado com os pais todas as informações necessárias afim de organizar um trabalho familiar para a  turma, então  os lugares e  as situações vividas pela criança como  acidentes em casa pela curiosidade e o descuido do adulto ou pela experiência vivida nos outros meios tudo surgiu por um questionário respondido pelos responsáveis,  a conchita a mascote da turma  que está de vez enquanto presente na recreação  e sala  foi observada com mais interesse, o  passeio a quitanda que fica no caminho de todos antes de chegarem na creche  e os sons que são comuns a elas como a buzina da van, abrir e fechar porta, subir e descer escada ,enfim o trabalho foi todo envolto a eles a percepção do seu próprio meio como forma de conhecimento e entendimento, o interessante que no dia que realizamos a experiência do espelho no trabalho com a escovação,  foi observado pela surpresa de muitas crianças da turma que era uma grande novidade tanto a mastigação como o produto da mastigação não sabiam que ao comerem qualquer alimento o dente ficava sujo ( experiência realizado com o biscoito de chocolate e no espelho) e que o alimento ao ser mastigado era modificado.

Avaliar numa perspectiva formativa implica estar atento à construção de conhecimentos conceituais, comportamentais e atitudinais de nossos alunos. Por isso é importante estar atento a todo o percurso do aluno enquanto aprende: suas ideias iniciais, aquelas apresentadas durante a investigação, à maneira que relaciona com os colegas, sua atitude investigativa e crítica, no decorrer da aula enfim desvendar o contexto como um todo e mais ainda de forma lúdica sem a obrigação  do trabalho metódico do ensino pela obrigação de atender um conteúdo programático, esse trabalho nos proporcionou viver a expectativa do conhecido que é o trabalho corriqueiro de trabalhar os sentidos na manipulação de diversos materiais e inovar para algo investigativo da causa e efeito, consequências refletindo, pensando analisando tirando conclusões e sentindo, vivendo cada sentido na sua subjetividade e na sua coletividade, sabemos que na faixa etária  das nossas crianças as sensações vividas estarão todas armazenadas em memórias e que mais na frente todas serão novamente ativadas e transformadas no aprendizado mais eficaz e significativo.

Referência Bibliográfica

Francisca Edilânia da Silva Lima é pedagoga, pós graduanda em psicopedagogia, professora e auxiliar de Educação Infantil na Creche Municipal Acalanto na cidade de Volta Redonda- RJ

Luciana Vanessa de Souza é professora na Creche Municipal Acalanto na cidade de Volta Redonda- RJ

 

 

blog comments powered by Disqus