Projeto Vem ler na praça


 

Vem ler na praçaDespertar o gosto pela leitura, valorizando a literatura em suas diferentes formas de expressão e promovendo a cidadania. Este foi o principal objetivo do projeto "Vem ler na praça", criado por um grupo de educadoras do colégio Centro Educacional Santo Antônio de Lisboa, da cidade do Rio de Janeiro. Unindo leitura, cultura e lazer, o "Vem Ler na Praça" surgiu do anseio de organizar um projeto que recuperasse o prazer de ler e ouvir histórias, uma vez que esse tipo de iniciativa não vem acontecendo nas escolas do Rio de Janeiro ou apenas ocorre de forma tímida e limitada aos interiores das salas de aula. Somando a isso, pensava-se em mobilizar toda comunidade em prol de uma maior integração escola e comunidade, já que ambas estão inseridas num mesmo lugar. Assim, o grupo reuniu-se em torno dessa idéia de promover uma atividade cultural que colocasse as crianças em contato com os livros e que possibilitasse também desmitificar a figura do autor de livro , concebida muitas vezes, de forma errônea, como algo do passado, que não existe mais. Além de perceber, que é capaz de se colocar no lugar de autor sempre que sentir-se motivado a escrever.

Idealizado pela professora de Língua Portuguesa do 4º ao 9º ano com ajuda dos demais membros da equipe pedagógica o projeto mobilizou toda comunidade escolar contando com incentivo constante de comerciantes locais, moradores e pais de alunos.

Alunos da Educação Infantil trabalharam durante duas semanas com o tema: “No mundo do faz- de -conta do Sítio do Picapau Amarelo”. Objetivando através de sugestões de atividades interdisciplinares:

  • Incentivar o gosto e hábito da leitura levando a Literatura de Monteiro Lobato ao conhecimento das crianças, demonstrando a importância da mesma, ajudando-as a perceber o quanto podem aprender de forma prazerosa;
  • Despertar a curiosidade da vida no sitio;
  • Introduzir a noção de animais com os animais da fazenda;
  • Desenvolver a linguagem oral através de relatos, conversas informais, necessidades, idéias, etc..
  • Escutar diversas histórias, apreciando a leitura feita pelo professor;
  • Identificar o resultado da mistura das cores primárias: amarelo e azul= verde;
  • Identificar as cores amarela e vermelho.

Na primeira etapa do projeto os alunos entraram em contato com as obras de Monteiro Lobato assistindo a um episódio do Sítio do Pica-Pau Amarelo com direito a pipoca e refrigerante.

As professoras ficaram atentas observando a reação das crianças diante do episódio e sondando seus conhecimentos prévios.

Em seguida, montaram um painel de personagens através de imagem e biografia de cada um a fim de enfatizar que além de um nome possuem diferentes histórias de vida criadas pelo autor.

Através da conversa plural, com os alunos organizados em círculo, na famosa “rodinha” foi possível:

  • Socializar impressões;
  • Estimular a linguagem oral;
  • Proporcionar interação,
  • Respeitar o ponto de vista de cada um.

As professoras aproveitaram para desenvolver atividades de expressão corporal usando as canções temáticas do Sítio. Dentre elas:

  • Movimentar-se pela sala;
  • Dançar, pular, cantar, expressar-se livremente;
  • Aprender e memorizar a música tema, composta por Gilberto Gil.

Em Artes Plásticas foram confeccionados fantoches dos personagens e assim possibilitou aos alunos:

  • Manipular diferentes materiais;
  • Estimular a criatividade;
  • Identificar as cores;
  • Trabalhar movimento de pinça (coordenação motora).

Os materiais utilizados foram:

  • Lãs de diferentes cores (amarela, vermelha, preta, verde);
  • Saquinhos de papel (tipo de pipoca);
  • Canetinhas (piloto), cola, tesoura, botões, retalhos.

Vem ler na praçaComo culminância houve uma feira literária na qual as crianças se divertiram participando de diversas oficinas orientadas pela equipe docente:

  • Contação de história- feita pela personagem Emília (funcionária caracterizada);
  • Desenho- com o tema em questão
  • Dramatizações variadas
  • Visitação à feira;
  • Apresentação de danças e brincadeiras de roda.


Projeto enviado pelas professoras: Priscila Rodrigues de Almeida Barroso e Denise D. Braga Jaques.

Texto revisado e adaptado por: Paty Fonte.

 

 

blog comments powered by Disqus