John Dewey


"O professor que desperta entusiasmo em seus alunos conseguiu algo que nenhuma soma de métodos sistematizados, por mais corretos que sejam, pode obter"

DeweyJohn Dewey nasceu em 1859 nos Estados Unidos. Iniciou sua vida profissional como professor de Filosofia na Universidade de Michigan. Em 1894, Dewey é nomeado diretor do Departamento de Filosofia da Universidade de Chicago. Nesta universidade Dewey cria uma escola elementar experimental no Departamento de Pedagogia e começa a organizar um trabalho que lhe fornecerá a base para seus estudos posteriores como "Educação e Sociedade" , publicado em 1899 e "Educação e Democracia", em 1916.

Dewey desenvolveu, ao longo de sua vida, uma filosofia da educação, até falecer em 1952. É Considerado o maior teórico norte-americano do século XX.

Com a teoria Escola Nova, o autor contrapôs ao sistema tradicional de educação, propondo o modelo de ensino-aprendizagem focado no aluno como sujeito da mesma. A teoria prevê ainda, que a aprendizagem deve partir da problematização dos conhecimentos prévios do aluno. Importante ativista e defensor da democracia, também participou de movimentos em defesa das causas sociais.

A proposta da “metodologia de projetos” surgiu com a sua contribuição e de William Kilpatrick. Dewey acreditava que, mais do que uma preparação para a vida, a educação era a própria vida. Assim, aprende-se participando, vivenciando sentimentos, tomando atitudes diante de fatos, escolhendo procedimentos para atingir determinados objetivos e ensina-se não só pelas respostas dadas, mas principalmente pelas experiências proporcionadas, pelos problemas criados, pela ação desencadeada.

O pensamento de Dewey é vasto e complexo. Para compreendê-lo é preciso observar sua concepção de pessoa, de razão, de desenvolvimento e suas concepções sobre educação, escola e conteúdos curriculares.

Dewey acreditava que escolas que atuavam dentro de uma linha de obediência e submissão não eram efetivas quanto ao processo de ensino-aprendizagem. Seus trabalhos alinhavam-se com o pensamento liberal norte-americano e influenciaram vários países, inclusive o movimento da Escola Nova no Brasil.

Dewey propôs uma teoria educacional que se caracteriza por suas origens naturalistas e sociais.

Dewey é o nome mais célebre da corrente filosófica que ficou conhecida como pragmatismo, embora ele preferisse o nome instrumentalismo - uma vez que, para essa escola de pensamento, as idéias só têm importância desde que sirvam de instrumento para a resolução de problemas reais.

Influenciado por Rosseau, Pestallozzi e Froebel, Dewey entende que a educação deve fazer parte do desenvolvimento natural do ser humano, sendo necessário reconciliar-se os dualismos tradicionais entre a razão e o espírito, o psicológico e o social, o indivíduo e a sociedade, os fins e os meios, a teoria e a prática, o trabalho e o lazer, a atividade prática e a intelectual, o homem e a natureza.

Para Dewey, o desenvolvimento da pessoa passa pelo desenvolvimento da sociedade e vice-versa. O ser humano é um organismo em interação com o meio ambiente, não se podendo conceber a razão como entidade separada da natureza. Influenciado por G.H. Mead, Dewey acrescenta uma perspectiva social à Filosofia. Segundo ele, a razão individual é social, a natureza é social e a sociedade é natural.

A educação é, portanto, uma necessidade social. Os seres humanos necessitam ser educados para que se assegure a continuidade social. Sendo assim, a educação se constitui num processo natural e social que permite aos grupos humanos manter e transmitir suas crenças, idéias e conhecimentos.

A sociedade ideal que deve servir de base à educação é a sociedade democrática.

A escola sendo uma instituição social deve representar na vida, assim sendo, os conteúdos de ensino devem ser organizados de forma integrada a partir de uma organização lógica que se articule à vida. Os conteúdos, a partir dos interesses e necessidades dos alunos devem levá-los ao desenvolvimento de suas potencialidades e de suas responsabilidades em relação à sociedade. O curriculum, assim pensado, partirá de situações ou problemas da vida comunitária. A escola deve estar voltada para os interesses dos alunos, apoiando-se em sua curiosidade natural.

Dewey valorizava diferentes ocupações sociais, ligando trabalho e vida escolar. O conceito de educação pelo trabalho está presente em sua obra, não como educação profissionalizante e sim, na visão de que é preciso conhecer o mundo do trabalho como sendo o ponto de partida para entender o homem na História.
Dewey valorizava bastante a educação científica. A concepção da Ciência servirá de modelo de metodologia educacional em todas as etapas do ensino.

Dewey distingue cinco etapas neste processo:

  • reconhecimento do problema,
  • definição e classificação do problema,
  • formulação de hipóteses,
  • escolha do plano de ação,
  • testagem das hipóteses.

Para ele, todo pensamento é pesquisa e nos leva à utilização do método científico.

Dewey valorizava bastante a comunicação e a expressão em várias formas de linguagem, observando o papel fundamentalmente social da língua como instrumento de pensamento e de expressão de idéias e sentimentos.

A filosofia deweyana remete a uma prática docente baseada na liberdade do aluno para elaborar as próprias certezas, os próprios conhecimentos, as próprias regras morais. Isso não significa reduzir a importância do currículo ou dos saberes do educador. Para Dewey, o professor deve apresentar os conteúdos escolares na forma de questões ou problemas e jamais dar de antemão respostas ou soluções prontas. Em lugar de começar com definições ou conceitos já elaborados, deve usar procedimentos que façam o aluno raciocinar e elaborar os próprios conceitos para depois confrontar com o conhecimento sistematizado. Pode-se afirmar que as teorias mais modernas da didática, como o construtivismo e as bases teóricas dos Parâmetros Curriculares Nacionais, têm inspiração nas idéias do educador.

A obra mais conhecida de Dewey é "Educação e democracia", Editora Colin, Paris, 1990.

Para saber mais recomendamos:

  • Dewey, John - A Escola e a Sociedade e a Criança e o Curriculo. Lisboa. Relógio d`Água. 2002
  • Dewey, John - A Utopia Democrática. DD&A Editora. 1998
  • Dewey, John - Uma Filosofia para Educadores em Sala de Aula. Petrópolis. Ed. Vozes. 1999
  • Dewey, John - A Arte como Experiência, in Os Pensadores. São Paulo. Abril. 1974
  • Dewey, John - Vida e Educação. São Paulo. Edições Melhoramentos. 1971

 

 

blog comments powered by Disqus