Trabalhando com charges


 

ChargeINDICAÇÃO: 6º ao 9º ano, de acordo com o aprofundamento dado. Podendo ser adaptado a alunos menores e maiores.

CONCEITO-CHAVE: Texto/Contexto; linguagem verbal/não-verbal

OBJETIVOS:

  • Perceber a charge como unidade textual de sentido completo.
  • Trabalhar a correlação texto/contextual, imprescindível para compreensão da mensagem contida na charge.
  • Ler criticamente a mensagem da charge, principalmente nos seus aspectos de crítica, sátira e paródia.
  • Analisar a inter-relação texto verbal (esporádico) x texto não-verbal (constante) presentes na charge, enquanto elementos intensificadores de seu aspecto crítico.
  • Identificar o caráter da mensagem eminentemente sintética da charge.
  • Produzir textos estrutural funcionalmente semelhantes aos analisados.

DESENVOLVIMENTO:

1a Parte: Análise do material:

  • Ler as charges.
  • Decodificar as mensagens, correlacionando-as aos fatos que as inspiraram.
  • Observar os elementos que constituem as charges (verbais e não-verbais) e classificá-las segundo apresentem apenas desenho, ou desenho e texto verbal, separando-as nesses dois tipos.
  • Analisar, primeiramente, as que fazem uso exclusivo de elementos não-verbais, com ênfase nos aspectos que conferem humor e mordacidade ao texto.
  • Fazer o mesmo com as que apresentem elementos verbais levando-se em conta, porém, a dimensão que a parte escrita assumirá no texto.
  • Elaborar quadro sinótico, listando os elementos encontrados nas charges analisadas.
  • O professor deve levar vários exemplos de charges para a sala de aula.
  • Chamar a atenção para o fato de que principalmente no caso da charge de caráter político, conhecer o fato que a originou é imprescindível para sua compreensão.
  • Observar a presença obrigatória do elemento não-verbal, e esporádica do verbal.
  • Observar que os elementos de ruptura que conferem o tom crítico-humorístico à charge podem ser de vários tipos. Por exemplo: exagero nos traços de pessoas retratadas (em processo semelhante à caricatura) ou introdução de elementos inusitados naquele texto.

Ao fim desta atividade, apresentar três exemplos de charges que jogam diferentemente com seus elementos constitutivos.

Texto 1: Charge sem palavras.
Texto 2: Elemento verbal sobrepondo-se ao não-verbal – residindo humor nas falas dos personagens.
Texto 3: Correlação perfeita palavras/ilustração.

As falas só assumem sua real dimensão se levarmos em conta o contexto em que são produzidas.

ELEMENTOS
Não-verbais
Verbais
  • caricaturas de pessoas famosas reforçando aspectos de sua conduta,caráter ou físico.
  • cenário – contexto
  • etc
  • diálogos
  • legendas
  • slogans
  • desvios e/ou rupturas de sentido
  • etc

2ª parte: Produção (individual ou em grupo):

  • Procurar, em jornais ou revistas, notícias curtas, de caráter geral ou político, cujo tema se preste a ser retomado através de uma charge.
  • Elaborar a charge, lançando mão dos elementos do quadro sinótico.
  • Mostrar à turma a charge elaborada, para que seja avaliada sua adequação e alcance crítico em relação ao tema escolhido.
  • Mostrar painel onde sejam mostradas lado a lado as charges produzidas e as notícias que as inspiraram.

VARIANTES:

  • Formar equipes.
  • Trazer para a sala de aula, em data pré-acertada:
    • Exemplos de charges de diferentes autores atuais e temas (de políticos, de artistas, de ocorrências, críticas à situação do país, etc) pesquisados em revistas e jornais.
    • Se possível, trazer charges lançadas à época de fatos marcantes da História.
    • A própria turma julgará a adequação do material trazido para o cumprimento da tarefa.
    • Será considerada "vencedora" a equipe que apresentar maior variedade de autores e de temas.

DICA: Pode-se também pesquisar e interpretar charges animadas em vídeos, disponíveis na internet e propor aos alunos que busquem diferentes maneiras de apresentar charges criadas por eles.

Avaliação:

  • Avaliar o desempenho global dos alunos continuamente a partir de observações, das atividades nas aulas, da participação na construção de novos conceitos, levantamento de hipóteses e manipulação dos materiais;
  • Observar as atitudes de responsabilidade, cooperação e organização dos alunos.

Para refletir:

Triste realidade retratada na charge de Maurício Ricardo


Da redação.

 

 

blog comments powered by Disqus