Momento de Urgência: O Cuidar


Jane Patricia Haddad

A sociedade  contemporânea, hoje também conhecida de acordo com o Francês Bernard Charlot (2011), sociedade da informação, em  que, tudo e todos  circulam rapidamente e nada permanece.

Nessa sociedade, em que estamos imersos, A relação com com o saber, com o mundo e com os outros, vem perdendo dia a dia seu sentido de ser e existir.
O que realmente tem valor hoje? Aprender para quê?

Vivemos um momento urgente de resignificar os verdadeiros valores, que nos dizem a que viemos e pelo que vale a pena lutarmos (sem violência), valores que nos movem, nos colocam em movimento!

De acordo com Boff( 1999)  a sociedade contemporânea, está criando incomunicação e solidão entre as pessoas. Pode ser, por um ponto, quando a tendência é culpabilizar as tecnologias e principalmente a internet e suas redes e nesse ponto, vale refletirmos, que o tempo e seu uso nos pertence, portanto não cabe culpabilizar o outro. Olhando de outra lente, a tecnologia, possibilita idas e vindas, encontros e desencontros com pessoas que o tempo real, não nos permite ver e estar  (presencialmente). Um ponto a desatar nessa trama é  quando o virtual substitui  as relação pessoais, o olho no olho, o afeto, o estar com.

Tentando refletir sobre o momento de urgência, eu diria que o cartão de crédito pode nos ajudar, como uma leve metáfora.

Muitos devem estar se perguntando: como? Eu arriscaria dizer: na sociedade da informação, do ter, nosso poder de reflexão some, o cuidado é extinto e acabamos  olhando apenas, o que nos falta e não o que já somos e  possuímos.
Nesse momento "sublime" , de pouca reflexão, o crédito antecipa o que nos falta, antecipa meu desejo em ter o que não posso, nesse momento,  e logo aparece o slogan: Você tem o direito a ser Feliz!

Sim , todos temos, esse direito lutar por isso. Mas o que é ser feliz?

Ser feliz é ter e fazer tudo que desejamos? Como ensinar, que nem todos os desejos, podem ser satisfeitos imediatamente ? Talvez, aqui nessa frase, há pistas para pensarmos em uma outra educação, um outro sentido para as relações, uma outra postura de ser e estar no mundo, um outro sentido...

O sentido ecológico do cuidar manifesta-se na noção de integralidade e ruptura inerente ao pulsar da vida ( Boff, 1999; Capra,1982), sendo também relação social de poder e saber. Para emancipar é preciso, sobretudo saber cuidar ( Boff, 1999, Demo,2001), numa perspectiva ética, política e pedagógica fundada num conhecimento mais democrático de ser.

Diante do exposto, a cada dia que passa, tenho tido , mais interesse em pesquisar e desvelar sobre o CUIDADO, palavra que , dia a dia , vem desdobrando- se em novos significados e formas de pensar, ser e estar no mundo contemporâneo.

O CUIDADO nos permite rever princípios ( nossa bússola ) que nos orienta em busca dos nossos valores inegociáveis,  um deles: ajudar a formar uma sociedade com "espirito sustentável" em uma troca constante de SABERES!

O ponto de Chegada: O CUIDADO
Pode ser o CUIDADO, um novo princípio inspirador para o século XXI?

 

Prof. JaneJane Patricia Haddad é pedagoga, com especialização em Psicopedagogia, Docência do Ensino Superior e Psicanálise. Atuou por mais de 20 anos em escolas como professora, coordenadora pedagógica e diretora, é consultora institucional e conferencista. Autora dos livros: “Educação e Psicanálise: Vazio existencial” e “O Que Quer a Escola: Novos Olhares resultam em Outras Práticas”, ambos publicados pela editora Wak, do Rio de Janeiro. Atualmente cursa o Mestrado em Educação na Universidade Tuiuti no Paraná, onde seu tema de pesquisa é a Indisciplina Escolar.

Site: http://www.janehaddad.com.br E-mail: janepati@terra.com.br 

 

 

 

 

 

 

blog comments powered by Disqus