A aprendizagem na infância


Jorge Kharrero

O ensino e aprendizagem torna-se uma maneira mais fácil do indivíduo manter sua autonomia, por meio do conhecimento. O conhecimento em si, abrange vários parâmetros diversos na sociedade. Pois, a sociedade requer e precisa de pessoas que tenham um bom respaldo, apresentando ideias transformadoras, e ao mesmo tempo competitivas. O aprendizado modifica e transforma o sujeito desde a infância até a idade adulta. Todo aprendizado necessita de uma busca interagindo com o meio, na participação efetiva das coisas e dos projetos colocados em favor do aprendizado. O ponto de partida para essa dimensão é de cunho da família primeiramente, e depois da escola. Os professores que estão prontos e preparados para orientar e facilitar o aprendizado para criança enquanto ser que está em desenvolvimento físico, mental e intelectual, vai precisar fortemente de bons cuidados e boa atenção por parte dos educadores e professores. Eles farão sua parte, e a família fará a sua.

O processo de aprendizagem da criança, se dá com a “interação”, e introdução no ambiente e no contexto escolar. É preciso a conscientização da família para que as crianças despertem sua inteligência, e sua habilidade para aprender e fazer trabalhos, e atividades cotidiana no tocante ao aprendizado. Com o interagir da criança, na escola ela desenvolve seu intelecto e práticas educativas, para assimilar melhor o que o professor lhe transmite. Esse percurso, toda criança passa ou deveria passar. A realidade do aprendizado, fica dentro da criança chegando a adolescência uma fase em que pede-se, e obriga bastante interesse dela, da escola e da família. Toda criança, dispõem de capacidade para desenvolver e aprender, e emitir uma ideia sabedora de tudo o quanto o educador lhe ensina. Exceto, aquelas crianças portadoras de “oligofrenia”. Pois elas que sofrem  com esse fator psicológico, não conseguem permanecer em escolas regulares, a não ser em uma educação especial, com profissionais na área da educação inclusiva.

Lannoy,(1978,P.54), afirma “Os oligofrênicos não dispõem de condições para acompanhar os programas escolares usuais e não possuem aptidões que lhes permitam assimilar os convencionais padrões de comportamentos social e moral”. Mesmo assim a criança dispondo de escolas especiais inclusivas, há uma possibilidade de desenvolver, e aprender algo fazendo com que sua inteligência funcione, acompanhado com um psicopedagogo ou um psicólogo na escola habilitado para essas crianças que desenvolvem esses transtornos de aprendizagem.

Todas as crianças ao atingir sua idade escolar, é direcionada ao conhecimento, e as técnicas que as preparam para o saber. A inteligência desperta em cada uma delas, à capacidade no desenvolvimento, e no seu raciocínio não só na escola dentro de uma sala de aula, mas também na vida diária e no contexto social e cultural, ou na família ao coloca-la sobre várias atividades. Algumas crianças desenvolvem o seu aprendizado mais rápido, e outras são mais lentas no aprender e assimilar as coisas.

A família sem dúvidas, é participativa nesse processo de aprendizagem da criança no ambiente escolar. O auxílio dos pais é bastante valioso e salutar uma vez que é seu próprio filho, e precisa de cuidados, atenção e proteção. O acompanhamento da família, deverá surtir efeito constantemente induzindo ao aprendizado. Mesmo a criança na idade do desenvolvimento intelectual é físico, que apresente algum sintoma dificultando e privando do aprendizado, e do desenvolvimento da criança intelectual, que seja comprovado e diagnosticado que ela tenha algum problema de “defit de aprendizagem”, e outros transtornos que comprometam no aprender das coisas em sua escola, conta com a participação e acolhida dos pais mantendo a estrutura e a organização familiar.

Segundo Silva, Ana B.B.(2003,p.61) “Até então, a criança contava coma estrutura da família  para se organizar e, além disso muitas de suas características hiperativas e, ou desatenta poderiam não estar acarretando problemas sendo até consideradas engraçadinhas”. No âmbito escolar a criança dispõe de um desempenho no seu aprendizado vai depender exclusivamente dela, da família e a escola, juntamente com a família. O ponto primordial na educação do seu filho. Tudo quanto os pais pretender realizar, deve ser voltado é para educação. Do seu filho. A realidade educativa e a forma de aprender das crianças é diferente. Eles desejam está ao lado do professor porque sente uma segurança. O ensino prepara e aponta para diversas formas de conhecimento. O aprendizado da criança é extremamente voltado ao meio que ela se encontre. As crianças aprendem mais utilizando seus recursos com base nas brincadeiras jogos recreações esportes na escola, tudo isso contribui com a desenvoltura, o crescimento, e o aprendizado da criança. A escola e os professores, tem essa tarefa de ensinar, e as crianças aprenderem nas diversas modalidades de ensino.

Podemos sempre acreditar na superação, e no desempenho escolar das crianças. Com o esforço de cada uma é evidente que elas não repitam as séries, atrasando seu aprendizado. Contudo, vai dizer e dar uma resposta aos professores, a escola, a sociedade e a família. Se o professor lhes ensina facilita e transmite o conteúdo em sala, é obvio que as crianças vão ter um bom resultado nos exames obtendo um bom conceito nas provas, nos trabalhos e atividades que a escola e os educadores oferecem. Se os professores não ensinam, e os pais não contribui, a criança não  aprende, e não desenvolve fica sempre atrasada, e não será um bom conhecedor intelectualmente.

 

João Oliveira

Jorge Kharrero - Brasileiro, Solteiro, 44 anos . Juazeiro do Norte-CE
Professor de História. Pedagogo licenciado.Graduado em Filosofia. Especialidade em História da Educação. Professor do Ensino Fundamental e Médio.Coordenador do Mais Educação. Dispõe de vários Artigos sobre educação.

 

 

 

 

 

blog comments powered by Disqus